quinta-feira, 6 de março de 2014

Lista: 3 tesouros ainda não descobertos na estante

Em um dos meus últimos vídeos no youtube, disse que esse ano eu iria parar de comprar livros e ler as coisas que eu tenho em casa. Alguém muito sabiamente já saiu com o comentário: “esse é o mantra de todo leitor”. Risos. Verdade, leitor viciado tem um monte de coisa na estante ainda por ler e sempre faz a promessa de lê-los: raramente cumpre. Primeiro por causa da promoções. Como todos temos uma wishlist ou “lista de querências”(termo que eu adoro), sempre que aparece uma promo com alguns dos títulos da lista de desejos, somos acometidos por uma urticária terrível: como é difícil se segurar.
Eu estou tentando levar meu plano à sério. Estou passeando pela minha estante e separei algumas coisas que precisam ser lidas. Antes de tudo porque são boas, segundo porque já tem livro comprado amarelando na estante há anos (sem exagero). Vamos a lista de alguns deles:

Retrato de Uma Senhora – Henry James (Penguin Classics)
Fiquei fascinada com a narrativa de “A Volta do Parafuso” de Henry James. Tudo funciona: o suspense, a narrativa densa. Me prometi ler no original. “O Retrato...” é um dos grandes livros do autor. Minha curiosidade foi despertada quando li “Fun Home”, quadrinho da Alison Bechdel que cita vários livros durante a história, um deles este de James. Está ali, bonitinho, com folhas já amarelando numa daquelas edições da Penguin Classics.

Os Dez Amigos de Freud – Sergio Paulo Rouanet (Companhia das Letras)
A ideia deste livro é fabulosa. Rouanet se aproveita do fato de um editor vienense ter enviado uma proposta à Freud: listar dez bons livros. Freud listou aqueles que seriam seu “livros amigos”. Rouanet é filósofo, diplomata, ensaísta, etecetera (além de membro da academia brasileira de letras), analisa cada livro da lista, seu autor, contexto e relação com a teoria psicanalítica. Parece um daqueles livros que sevem para nos educar, nos ensinar sobre autores novos, história, lugares. O começo do primeiro volume é uma delícia, nos contando um pouco sobre a rotina de Freud: “Normalmente o professor Sigmund Freud começava sua rotina às oito da manhã. Só interrompia suas atividades para o almoço, e voltava a trabalhar até o cair da noite. Era quando jantava...”. Espere por mim!

Meio Sol Amarelo – Chimamanda Adichie (Companhia das Letras)
Autora recomendadíssima pela Denise, do blog Cem Anos de Literatura. Há mais de um ano assisti ao vídeo em que ela falava com tanto entusiasmo sobre esta autora nigeriana. A narrativa parece mesclar literatura e história, uma mistura que eu costumo adorar. Além do mais é preciso ler autores contemporâneos pois sempre ando perdida lendo coisa do século XIX (ultimamente estou numa obsessão com os franceses). Devo ler ainda no primeiro semestre deste ano. E vamo que vamo! Tentar cumprir a sempre frustrada promessa de ler o que está em nossas estantes. Vale a tentativa.

2 comentários:

carolinayji disse...

Estou com Henry James para ler também. Sempre ouço falar também da "volta da parafuso".. :)

Antológico disse...

"A volta..." é fantástico! :D